Emergência e Desenvolvimento ­duas realidades distintas. Consequências no terreno: “Querer e Fazer” em Sao Tomé e Principe

O Estudo

O propósito desta curta contribuição é descrever a experiência de um grupo de estudantes de medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa na elaboração, planificação e realização prática de um projecto de epidemiologia no contexto africano, designado “Querer e Fazer”. Este projecto nasceu da experiência prévia deste grupo na participação em projectos desenvolvimento em Portugal, que tinham já uma componente internacional, africana. O que nos motivava era, por um lado, ganhar experiência em saúde pública para lá do campo estrito da medicina e, por outro, adquirir experiência e conhecimentos em realidades sociais e culturais não portuguesas.

Graças à mediação e ao apoio do Prof. João Luís Baptista, o Departamento de Saúde Pública da Universidade Nova aceitou colaborar o projecto e envolveu este grupo de estudantes num trabalho prévio, e para nos essencial, de reflexão crítica sobre os fundamentos teóricos e as metodologias de projectos anteriores de desenvolvimento e ajuda humanitária portuguesa em África, o que implicou também reflectir sobre os objectivos definidos para o projecto em que tínhamos colaborado anteriormente, e sobre a qualidade dos seus resultados. A perspectiva deste passo prévio foi a de proceder a uma auto­crítica sobre o trabalho já desenvolvido e, sobretudo, sensibilizar­mos para a necessidade de modificar o paradigma de intervenção, considerando as possibilidades de melhorar os métodos e objectivos do trabalho que tínhamos realizado.

Ler o documento completo aqui.